Como tratar varizes nas pernas naturalmente

Postado por Práticas Alternativas em sexta, janeiro 15, 2016 Em: Por condição

Dilatação das veias causada por estancamento do sangue em determinada região. Por causa da pressão sanguínea, a veia se dilata formando varizes.
Geralmente ocorrem nas pernas, abaixo do joelho e na região anal - neste caso, recebem o nome de HEMORRÓIDAS

Pessoas 
com mais de 40 anos de idade e aquelas que trabalham muitas horas em pé, com poucos movimentos, são as que têm maior chance de desenvolverem varizes. Nas mulheres, é muito comum surgirem durante a gravidez.
Além disso, tudo que prejudique o fluxo normal do sangue pode produzir veias varicosas: roupas apertadas, cinturões, faixas, ligas, sapatos apertados, sapatos com salto muito alto etc. Algumas enfermidades também prejudicam o fluxo sanguíneo PRISÃO DE VENTRE e DOENÇAS DO FÍGADO são as principais. Se não forem tratadas, as varizes podem degenerar- se em úlceras varicosas e flebite.

Use meias elásticas que comprimam as pernas para evitar o surgimento de varizes. Suspenda da alimentação os alimentos cárneos, principalmente embutidos; os gordurosos (frituras, laticínios, margarina, chocolate) e os condimentos irritantes; substitua-os por alimentação natural, composta de legumes crus, frutas frescas da época e cereais integrais.

Use alimentos DEPURATIVOS DO SANGUE e beba água pura e fresca em abundância. Combata o sedentarismo através de exercícios físicos moderados e regulares.

Emergência

Havendo ruptura de alguma veia varicosa, envolva a perna com uma faixa de gaze limpa, embebida em água boricada e eleve a perna acima do nível do coração, até que a hemorragia estanque.
Se não houver melhora em 20 minutos, procure um médico.

Referência 
Medicina Alternativa de A a Z
Carlos Nascimento Spethmann

Em: Por condição 


Tags: tratamentos   
   

Sobre o Blog


  Aqui pode encontrar as melhores informações sobre as diferentes medicinas alternativas. É recomendado falar sempre com o seu médico antes de dar início a um tratamento.

    

Práticas Alternativas © 2017